Imagem de destaque para artigo sobre fertirrigação no Blog AgriQ. Descrição da imagem: broto de planta na terra sendo regado. (Créditos: Freepik)

Fertirrigação: o que é e como funciona?

Fertirrigação: o que é e como funciona?

A fertirrigação ganha cada vez mais espaço nas propriedades rurais.

O método, que alia a aplicação de fertilizantes com a água da irrigação, ajuda a reduzir os custos operacionais e garantir mais eficiência no fornecimento de nutrientes para as plantas.

Mas como a técnica funciona?

Neste artigo, vamos explicar como funciona a fertirrigação, suas principais vantagens e como implantá-la na sua propriedade rural.

Confira a seguir!

O que é fertirrigação? Quais são seus benefícios?

A fertirrigação é um método de adubar a lavoura por meio da irrigação. Sendo assim, consiste em um processo que acelera a chegada dos fertilizantes até as raízes das plantas.

Em resumo, para realizar a técnica, é necessário diluir o fertilizante em água e em seguida, distribuí-los em dosagem adequada no solo e na plantação.

Nesse sentido, entre os principais benefícios da fertirrigação, podemos citar:

  • Aumento da produtividade;
  • Melhora da qualidade de vida da vegetação;
  • Distribuição mais homogênea de nutrientes na plantação;
  • Redução de custos, já que o sistema de irrigação é previamente instalado e não haverá mais necessidade da utilização de mão de obra com maquinário;
  • Diminuição de danos ao solo e à plantação;
  • Fácil aplicação do fertilizante em todos os ciclos da lavoura, independente do clima;
  • Maior equilíbrio de nutrientes no solo;
  • Redução de perdas de nitrogênio;
  • Economia de até 30% do consumo de água, visto que a lavoura passa a ser regada de forma localizada, o que evita o desperdício.

Como funciona a fertirrigação?

Em síntese, podemos realizar a fertirrigação por meio dos processos de gotejamento (irrigação localizada) e microaspersão.

Entre os dois, o mais recomendado é o de gotejamento, pois os gotejadores ficam posicionados na área de concentração dos sistemas radiculares das plantas. Como resultado, temos um maior aproveitamento dos fertilizantes.

Por outro lado, temos a microaspersão, que funciona bem quando há um microaspersor por planta. Isso porque é comum utilizar um único equipamento para mais de uma planta — nesse caso, a solução fica concentrada perto do microaspersor e não chega na raiz de cada uma delas, o que impede a distribuição uniforme na lavoura.

Como implantar a fertirrigação na lavoura?

Antes de tudo, é importante ressaltar que para implementar o sistema de fertirrigação na sua propriedade, será necessário ter apoio profissional. Isso porque existem muitas variáveis implicadas nessa técnica.

Portanto, o profissional especializado conseguirá indicar os melhores equipamentos e identificar as necessidades do solo e de cada cultura, bem como os fertilizantes indicados para cada situação.

Além disso, para obter sucesso na implantação da fertirrigação, será preciso considerar os seguintes recomendações:

1. Consulte o engenheiro agrônomo para definir a quantidade de nutrientes que a planta precisa e como deve ser sua distribuição ao longo de suas diferentes fases fenológicas;

2. Observe a compatibilidade de fontes utilizadas no preparo da calda que será injetada ou misturas de adubos líquidos;

3. Verifique a solubilidade dos fertilizantes, pois para cada produto existe uma quantidade máxima que pode ser dissolvida em determinado volume de água. Fique atento, essa quantidade não pode ser ultrapassada;

4. No início da fertirrigação, realize a injeção do fertilizante somente depois que o sistema de irrigação estiver pressurizado, com válvula ou registro do setor aberto e pressão no cabeçal de controle;

5. Após a injeção de toda a solução preparada para o setor e fim da fertirrigação, mantenha o sistema de irrigação funcionando neste setor por um determinado período — este é o tempo de avanço.

Quais são os equipamentos necessários para o sistema de fertirrigação?

Em geral, para instalar a estrutura do sistema de fertirrigação, será preciso adquirir alguns equipamentos fundamentais como:

  • Reservatório ou tanque de solução: o tanque deverá ser resistente a corrosão, já que nele serão adicionados produtos químicos.
  • Bomba injetora: será utilizada para injeção de fertilizantes.
  • Injetor Venturi (por pressão): auxilia no aumento da velocidade do processo.
  • Válvula de alívio: previne a deformação da tubulação por conta do vácuo após a interrupção do fluxo da irrigação.
  • Válvula de retenção: evita o fluxo invertido de água.
  • Filtro de linha: impede a obstrução por materiais estranhos no sistema injetor.
  • Registro: serve para drenar a solução na tubulação do sistema.

Blog-Banner-AgriQ-Receituário-Agronômico-Consulta-Fitossanitária

Quais são as principais vantagens da fertirrigação?

A princípio, a principal vantagem de utilizar a fertirrigação na lavoura é a possibilidade de acelerar o ciclo de nutrientes e consequentemente, obter resultados mais rápidos e eficientes.

Isso ocorre porque no método tradicional, com aplicação do fertilizante sólido, é necessário esperar a chuva ou irrigação para que o nutriente penetre no solo. Nesse caso, a penetração acontece de forma variável, pois depende do volume e da intensidade da chuva ou da rega.

Desse modo, a eficiência da fertilização fica comprometida, visto que o adubo muitas vezes é espalhado em regiões onde não há concentração de raízes. Como consequência, o produto não chega ao sistema radicular das plantas.

Em contrapartida, na fertirrigação, o fertilizante é diluído na água e a solução penetra no solo de forma uniforme, abrangendo todo o sistema radicular da cultura. Assim, a absorção do nutriente ocorre de forma rápida e eficiente.

Vejamos a seguir outras vantagens que essa técnica pode proporcionar:

Redução da compactação do solo

Com o uso da fertirrigação, elimina-se a necessidade de utilizar maquinários pesados para adubar as plantas. Então, como resultado, há a redução da compactação do solo.

Controle eficiente dos nutrientes

A fertirrigação é responsável por administrar o manejo de irrigação de maneira mais racional. Isso significa que os nutrientes são aplicados conforme a necessidade do solo, de forma frequente, em menor quantidade, durante todo o ciclo de produção e colheita para garantir que o solo se mantenha saudável nos próximos cultivos.

Redução das perdas por lixiviação

A diminuição da perda de nutrientes, causada pela lixiviação, é uma das principais vantagens da fertirrigação.

Sendo assim, em regiões mais chuvosas, onde há uma perda maior de sais minerais, essa técnica auxilia na manutenção dos nutrientes.

Diminuição de custos na produção

Como não há necessidade de utilizar a mão de obra com maquinário, consequentemente, há a redução de custos.

Quais são as desvantagens da fertirrigação?

Antes de implementar a fertirrigação, é necessário observar que o sistema também possui suas desvantagens:

  • Exige cálculos precisos para quantificar as concentrações e doses dos fertilizantes;
  • Demanda o uso de adubos mais puros;
  • Pode favorecer o entupimento do sistema de irrigação, quando utilizado de forma incorreta;
  • Pode provocar a salinidade pelo uso excessivo de adubo.

Conclusão

Como podemos ver, a fertirrigação é um método que une o processo de fertilização ao de irrigação.

Logo, a técnica garante mais eficiência e praticidade à produção, visto que dispensa o uso de maquinário para adubar as plantas e garante resultados positivos por meio de uma fertilização equilibrada e assertiva.

Gostou de conteúdo? Então aproveite e leia nosso artigo sobre os fatores que afetam a produtividade da lavoura.

Banner-Blog-AgriQ-Receituario-Agronomico-Teste-Gratis

Post Tags :

Rafaella Aires

Formada em Jornalismo, pós-graduada em Marketing e especialista em Comunicação Digital, atuo como Analista de Conteúdo no AgriQ Receituário Agronômico.

Deixe um comentário